Lutterbach - Fotografia Autoral

SEM HUMANO

14 de Dezembro de 2015

Um projeto autoral surge após anos fotografando só para mim nos poucos segundos entre um ensaio e outro. Algumas vezes acontece simultaneamente a um trabalho encomendado. Basta olhar para aquilo que nos comove e nos encanta. Há sempre beleza, algo curioso ou diferente e o lugar não importa.

Para mim, não há outra forma de ser fotógrafo, a não ser estar sempre inquieto e buscando enxergar o que nem sempre as pessoas enxergam.

Descobri, ao alinhavar esses momentos só meus, que todos são fragmentos de um mundo coexistente ao nosso, mas que quase sempre passam despercebidos. Aqui os seres NÃO são humanos, mas são vivos, belos e mágicos.

A maioria dessas fotos foram feitas de 2010 a 2015 em Belo Horizonte, diferentes cidades do interior de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Pra quê atravessar o mundo para ver as ilhas Maldivas se temos Maragogi? Uma pequena vila em Alagoas, mas bem  pertinho de Recife, em Pernambuco, Maragogi consegue nos fisgar com todas as suas nuances de turquesa e verde-água em suas praias recheadas pela mais rica costa de corais do Brasil. E lá tem um vento constante a soprar toda e qualquer preocupação. Tem uma chuva logo de manhã para refrescar qualquer cabeça quente.

Nos preparamos com muita antecedência para essa viagem; precisávamos muito descansar e fotografar por conta própria. A exuberância das praias (principalmente a Praia da Bruna, Antunes e Carneiros/PE) poderia muito bem nos hipnotizar e cegar nossos olhos para outras belezas um pouco mais escondidas. Existe todo um universo do lado de lá das praias. E lá tem outras cores fortes e lindas também, mas, nos disseram por lá: "turista não quer ver isso não".

Mas, o que faz um fotógrafo não é segurar uma câmera. É ter um olhar além da superfície. É querer cavar com a unha a areia do mundo. É querer colocar o mundo todinho dentro de um grão de areia.

Por Carol Godoi

Fotos | Fernando Lutterbach | © 2015 | todos os direitos reservados | não copie sem autorização.

A nossa Trancoso

18 de Maio de 2015

Uma viagem de férias para nós não é um descanso da fotografia, mas é uma possibilidade de finalmente fotografar com liberdade total, sem pressa, nem pressão.

É uma maneira de ver as cores, ou criá-las, do nosso jeito. É finalmente poder registrar um pouco a nossa vida porque estamos fazendo o que mais amamos, com aqueles que mais nos importam.

Trancoso já não é uma vila simples de pescadores. Tem sido o lugar da moda, local aonde famosos e milionários vão para gastar valores absurdos. Mas, é considerado hoje internacionalmente um dos lugares mais lindos e especiais do mundo. O mérito é real. Me alivia, porém, constatar que parte importante da sua beleza está sendo preservada por muitos dos novos donos de terras de lá. Vejam só, aqueles que compraram os locais mais privilegiados são europeus investidores da indústria do turismo, numa repetição irônica do que aconteceu no descobrimento do Brasil.

C'est la vie.

Mas a beleza do lugar me impede de sofrer por não ter ido no passado, quando tudo era mais intocado. E devo dizer que não fomos na loucura da alta estação de férias, o que contribuiu para ver o lugar como ele é mesmo. Em seu ritmo verdadeiro...

A melancolia vai embora de vez depois que voltamos para casa e vejo os recortes que o Fernando fez da nossa viagem, com seu olhar. Ainda tem o futebol na praça, um nativo vendendo coco na praia, meninos apostando quem fica mais tempo debaixo d'água, os barcos dos pescadores, meninas na praça indo rezar e cachorros soltos em qualquer rua.

E assim me apaixono de novo pelo lugar, pela fotografia dele e pelo que ele é. Amo o que ele ama. O que ele ama me emociona continuamente. E isso nos basta.

CAROL.

Uma pausa amorosa

23 de Fevereiro de 2015

Foram dois dias reservados para nós e resolvemos dividi-los com amigos muito queridos, que atualmente vivem numa das cidades mais charmosas de Minas Gerais, Catas Altas. São duas horas de meia de distância de BH: a estrada é linda, iluminada e muito verde.

O Guilherme é um amigo de longa data, uma pessoa que faz parte da minha história e do Fernando. Um irmão de alma, que temos enorme carinho. A Amanda entrou pra vida dele de forma tão alegre, que nos conquistou imediatamente. Quando ele se casou com ela (doce mais doce de pessoa) já tínhamos uma viagem grande marcada para a Europa e não estivemos juntos no dia. Quando vi as fotos deles meu coração ficou apertado por não ter dividido e abençoado esta união, que nos é tão cara.

Já passamos outros dias parecidos com estes na casa deles, e em todas as vezes, a fotografia é como um outro membro do grupo, sempre presente para não nos deixar esquecer. Porque não queremos que acabe nunca.

Ao ver nossas fotos, Amanda e Gui, pensei que os dias comuns, às vezes nos passam, e não nos parecem tão importantes quanto o dia do casamento. Mas devem ser... vejam nas fotos, como somos felizes HOJE. Tomara que isso amenize nossa falta, e que assim, possam nos perdoar. :)

Nós sentimos necessidade de mostrar aos casais, que se interessam pelo nosso trabalho, um pouco mais de nós. Quem somos, o que amamos, como trabalhamos e qual a importância tem em nossas vidas a fotografia, a arte e o amor.

Já escrevemos muito sobre isso, mostramos nossas fotografias mais autorais, criamos um material para enviar por email, mas ainda sentíamos que faltava algo essencial. Era preciso que os casais se identificassem verdadeiramente conosco e gostassem da nossa energia. Nem sempre conseguimos transmitir isso em apenas uma reunião, mesmo que algumas levem mais de duas horas.

Fernando, que detesta ser filmado e passar para o outro lado das câmeras, teve a ideia de chamar a Par Filmes para criar um vídeo sobre nós. Isso me surpreendeu tanto, que fiquei com medo. Eu, que já trabalhei tantos anos em televisão, fiquei tímida. Enfim concordei porque teríamos amigos queridos nos acompanhando e dizendo em forma de imagens, a nossa história até aqui. A eles, nossa gratidão eterna e imenso orgulho.

No vídeo, que é um pequeno recorte de nosso cotidiano, vocês vão ver um pedaço de nossa casa, nossos livros mais queridos, uma xícara que foi de minha bisavó, flores que ganhei do Fernando, a primeira fotografia P&B que ele fez de mim quando nos conhecemos na faculdade, a primeira câmera profissional e tecidos que escolho com carinho para cada álbum que criamos. Para nós, a maior riqueza é nossa história.

Para que isso tudo ficasse lindo mesmo, foi preciso contar com imagens de nossos casais Yasmin e Achilles, que se casaram em Tiradentes, e Bárbara e Bruno, que foram excepcionais durante o engagement session, que faz parte do vídeo. Agradecemos cada segundo. Minha irmã, Camila Godoi, produtora de moda, nos ajudou na escolha dos looks e Maria Hercília Bouquet criou uma peça linda para nosso casal. Davi, nosso filho, que participou de tudo topou se dedicar a isto tanto quanto nós. Nada mais emocionante do que comemorar aniversário assim.

Espero que gostem.

Um beijo,
Carol Godoi

The Artist Guild of the Wedding Photojournalist Association WPS International Society of Professional Wedding Photographers