Lutterbach - Fotografia Autoral

"Acho maravilhoso quando as coisas superam todas as nossas expectativas!
Sei da pressão que é fotografar fotógrafos e ainda mais quando somos colegas, mas para mim a base de tudo é a confiança e o respeito. 

Conheço o Fernando há tanto tempo, desde da época em que fazíamos pauta para revistas e jornais. Quando vi um stories dizendo que ele tinha agenda só para ensaios, meio que decidi de supetão fazer umas fotos minha e do Henrique. Temos pouca fotos nossas juntos e para o site do casamento sabia que ia precisar de algumas fotos nossas e do lugar. 
Mesmo sem dizer nada, tentei transmitir toda a confiança do mundo pro Fernando Lutterbach e deixar na mãos dele todo o trabalho. Também não conversei nada a respeito de como gosto de fazer com meus clientes pro Henrique e como meus noivos normalmente se comportam. Quis que ele fosse o Henrique e assim naturalmente a Barbara aparecia.
Fomos livres de sugestões, livres de idéias, sem ensaiar poses e com a roupa que usamos no dia a dia. No carro fomos conversando e explicando o que a gente gosta de fazer, porque nos casaríamos na fazenda do tio do Henrique, no meio do mato e entre poucas pessoas. 
Eu mesma já me realizo no casamento dos clientes e dizia meio que da boca pra fora que "Se casar, quero que seja numa fazenda, de dia, comendo e bebendo, sem protocolos"...
A Jagoara Velha (Fazenda do séc XVIII e patrimônio histórico e cultural de MG) é maravilhosa, Henrique vai desde menino e uma vez, quando tínhamos pouco tempo de namoro Henrique me ligou depois de ter voltado de lá "Já decidi onde nos casaremos". O que poderia ser uma brincadeira, vai acontecer em poucos meses.

Minha cumadre Fernanda Santiago sempre me diz "Cuidado com o que você deseja pra si, porque o pensamento tem uma força enorme. Se você deseja, o universo vem e te entrega". 
Universo (ou Deus, Alá, Jeová, do jeito que vocês gostarem de chamar), você é foda! As coisas estão acontecendo da maneira mais linda, muito melhor do que a encomenda!

Barbara Dutra

ps: Obrigada Fernando e Carol por todo o carinho com a gente!!"

<3

FOTOS | FERNANDO LUTTERBACH

MAQUIAGEM E CABELO  | LUÍSA CAMPARA

LOCAL | ESTRADA DE MATOZINHOS E FAZENDA JAGOARA VELHA

Queridos Carol e Fernando,

 

Quando vocês me disseram que tinham essa data disponível para fazermos o nosso ensaio fiquei muito feliz. Dia do meu aniversário! O Juninho sabe que é uma data que adoro, segundo ele, a mais esperada do ano, apesar de que a de 2017 é 01 de julho, dia do nosso casamento. :) 

Foi uma tarde deliciosa, com direito a parabéns, torta de limão e velinhas para apagar!

Um privilégio passar algumas horas só aproveitando a companhia um do outro, só namorando.

Curtir esse tempinho que tiramos pra nós foi maravilhoso! Poder deixar registrado nessas fotos um pouquinho da nossa longa história e do amor e carinho que sentimos é muito especial.

Fernando e Carol, muito obrigada por nos proporcionarem essa emoção...

Isabella

 

<3

 

Nós fazemos suas palavras as nossas, Isabella, e agradecemos à sua sogra Cláudia, que já virou amiga com cenários incríveis para nos emprestar e à sua mãe, Maria Eugênia, por fazer surpresa para vocês reservando a fotografia do seu casamento conosco. Agradecemos também à Luiza, sua irmã, motivo do nosso encontro há tantos anos. Enfim, nos sentimos fotógrafos da família toda e isso é realmente muito especial. Algo que vamos sempre cultivar!

Um beijo carinhoso,

Carol e Fernando

 

FOTOS | fernndo lutterbach | © todos os direitos reservados

LOCAÇÃO | casa da família | Santo Antônio do Leite - MG

PRODUÇÃO | carol godoi

            Santiago foi nossa escolha para tirar alguns dias de descanso dessa vez. Fernando fotografou um pouco, claro, mas queríamos desacelerar. Adorei a tranquilidade da cidade, os parques enormes e praças bem cuidadas. E o melhor, as pessoas usufruem do espaço mesmo: durante vários dias reparei muitos casais de namorados deitados na grama - a qualquer hora - curtindo as árvores e um ao outro. E isso tudo bem pertinho do Brasil: apenas 3 horas e meia de avião de São Paulo. Ainda não entendo porque Belo Horizonte não tem voos diretos para grandes cidades da América do Sul; é um pouco revoltante isso e espero que mude em breve!

            Já na ida do aeroporto para o hotel, o motorista me diz que a polícia lá funciona mesmo. Apesar de não ter tido nenhum problema, essa informação não averiguei, mas fiquei impressionada com a quantidade de mulheres trabalhando na guarda e como são sérias, compenetradas, bem vestidas e arrumadas. Adorei os uniformes e os carros deles! Lá não é permitido beber na rua, mas nem por isso a alegria da noite é menor. No bairro em que fiquei (Lastarria) muitos artistas vendiam seus produtos nas calçadas, sem confusão nem sujeira. Alguns cantavam, tocavam, apresentavam cenas teatrais. Tudo isso sem tirar a paz do lugar.

            Lá não tem fuso-horário, mas as pessoas acordam tarde para meus parâmetros. Tudo abre a partir das 11 da manhã e o sol custa a se pôr: perto das 9 da noite. Gostamos da comida (principalmente o Congrio), experimentei finalmente o Pisco Sour (adorei) e pude fazer alguns passeios em vinícolas lindas com degustações incríveis.

            Fui reparando nos muitos cachorros na rua, todos grandes, mas super dóceis. Os vizinhos os alimentam, mas a grande maioria foi abandonada pelos donos de apartamentos pequenos. Isso me cortou o coração. Depois fiquei sabendo que grande parte deles têm donos, que os deixam andar pela cidade sozinhos durante o dia. Que perigo! Santiago, como a nossa cidade natal, também tem muitos mendigos, sempre observo muito essas pessoas, não consigo me acostumar com essa realidade tão triste.

            De toda forma, adorei a sensação de andar na rua sem medo e poder admirar espaços verdes enormes e edifícios lindos! Adorei o Cerro Santa Lucía, vale subir as escadarias!! Gostei do chileno, que em sua maioria ama o brasileiro e faz questão de dizer. Na volta para o aerporto, nosso motorista ficou estressado, pois tinha de buscar um casal que não aparecia nunca, e começamos a ficar aflitos. Fernando avisou que não podíamos esperar mais e ele chegou no carro dizendo: “eram Argentinos... talvez descobriram que a van estava cheia de brasileiros e não quiseram ir”. Depois do riso geral eu perguntei se ele prefere o argentino ou o brasileiro. Ele respondeu na lata que nenhum dos dois. Me assustei com a resposta, e ele completou rápido: eu prefiro a brasileira e a argentina”. Bem humorados, cheios de diplomacia e galanteadores... esses chilenos...

 

Dicas úteis CHILE:

Leve seu passaporte, mesmo não sendo obrigatório;

Dá pra levar Reais e trocar lá, mas as casas de câmbio abrem tarde;

Use o seu aplicativo UBER para andar na cidade;

Hospede-se em Lastarria e faça quase tudo à pé;

Tire um dia para conhecer Valparaíso;

Não se esqueça de conhecer as casas de Neruda e aprender mais sobre a história dele e do Chile nas visitas;

O serviço nos restaurantes é lento, acostume-se e vá com tempo.

Achei o Mercado Central meio fraco, nem perca seu tempo em almoçar lá pois é caro demais;

Os restaurantes que mais gostei: Bocanáriz (maior carta de vinho por taça do Chile); Casa Lastarria; Metizo (por do sol lindo lá); Como Água para Chocolate (aproveite para passear no Patio Bella Vista depois);

Eu adorei o Museu de la Moneda porque tinha uma exposição completa do Picasso, que sorte a minha!

Pode trazer vinho na mala: só saber embalar bem! Indico comprar no supermercado comum da cidade que é mais barato.

Vinícolas: o tour degustação que mais gostei foi na Indómita, amei o espumante de lá, o passeio e tudo que foi ensinado sobre o universo dos vinhos. O restaurante de lá é caro mas vale a pena. O Casas Del Bosque vale pelo cenário deslumbrante e pelo restaurante, que é ótimo, mas não aconselho o tour degustação, a não ser que você nunca tenha vivenciado um passeio assim. Como curiosidade vale passar pelas Bodegas RE para conhecer a história da família do mais importante enólogo chileno (Morandé) e comprar na loja linda de lá. O tour foi meio longo e os vinhos são muito diferentes: Meus preferidos foram os brancos. Ah, foi lá que comprei um azeite incrível e tempero típico chileno chamado MERKEN. Simplesmente viciante: agora até o ovo eu tempero com isso. 

Chile, com certeza voltarei!

Obs: todos os direitos reservados | não use as imagens nem o texto sem autorização

 

Um dos lugares mais belos que a nossa imensa Minas Gerais possui, a Serra do Cipó (se você ainda não a descobriu) fica na Estrada Real e no Circuito do Diamante. Além de um Parque Nacional, inúmeras cachoeiras, a região tem uma das floras mais diversificadas do mundo!! Um verdadeiro santuário da natureza...

Apesar de visitar a região desde a infância, ainda não tínhamos levado um casal para percorrer a estrada que liga Belo Horizonte até lá, extendendo um pouco até quase chegar em Conceição do Mato Dentro.

Escolhemos fazer isso com a Monique e o Felipe porque não podíamos fazer feio com um carioca, que pega a estrada com a noiva exclusivamente para fazer este ensaio antes do casamento.

E achamos que deu certo, mas você pode conferir a felicidade nos olhos deles pelas fotos ou o email que ele nos mandou:

 

"Éramos amigos, e acabamos virando um casal. Amigos, parceiros.

Ela de BH, eu do RJ, com origens em BH.

Havia a dúvida entre fazer as fotos na Cidade Maravilhosa ou nas Minas Gerais com seus Belos Horizontes. Decidimos que o local não importava tanto, que a essência do casal falaria mais alto. E no final houve a junção das duas coisas: nossa essência retratada no lindo lugar indicado por vocês! Paixão à primeira vista nossa pelo lugar, assim como paixão ao primeiro sorriso francamente trocado entre nós.

Continuamos amigos, virando quase um casal. Para sempre um casal e para sempre amigos. E agora com um novo lugarzinho pra chamarmos de “nosso” após as lindas fotos que vocês nos proporcionaram."

 

Beijos,

Felipe

Este ensaio pré-casamento foi feito numa tarde inesquecível na Lapinha da Serra (MG), numa semana em que esperávamos por muita chuva, mas fomos presenteados pela mudança repentina do tempo. Ainda bem! As chuvas dos dias anteriores causou um pouco de apreensão mas, não sabíamos, ia acabar contribuindo para o verde ficar mais vivo e a água ser também uma protagonista nestas fotos.

Procuramos lugares belos para essas sessões, e se forem como esses que visitamos, melhor ainda, mas é nossa missão entender o motivo da escolha de determinado cenário, afinal, nossas fotos não são para uma revista, elas são para a memória de duas pessoas especiais e únicas, que estão começando uma caminhada juntos.

O Pedro nos contou:

"A Lapinha simboliza para mim um ambiente de conforto da alma, repouso mental e admiração da natureza. Pouco depois de começarmos a namorar, este foi o primeiro local para o qual viajamos juntos, e além disso, era a minha primeira vez no vilarejo.

Retornamos algumas vezes após este episódio, inclusive para realizar a travessia Lapinha – Tabuleiro, aventura que nos rendeu algumas lesões no joelho, rsrs! Mesmo assim, sempre esteve presente um sentimento muito especial.

A cada nova visita fico mais perplexo com toda essa beleza natural e a tranquilidade que sentimos, e por isso, a Lapinha se tornou um dos locais preferidos quando quero me desligar do mundo junto com a pessoa que amo."

 

 

 

 

 

The Artist Guild of the Wedding Photojournalist Association WPS International Society of Professional Wedding Photographers