Lutterbach - Fotografia Autoral

            Santiago foi nossa escolha para tirar alguns dias de descanso dessa vez. Fernando fotografou um pouco, claro, mas queríamos desacelerar. Adorei a tranquilidade da cidade, os parques enormes e praças bem cuidadas. E o melhor, as pessoas usufruem do espaço mesmo: durante vários dias reparei muitos casais de namorados deitados na grama - a qualquer hora - curtindo as árvores e um ao outro. E isso tudo bem pertinho do Brasil: apenas 3 horas e meia de avião de São Paulo. Ainda não entendo porque Belo Horizonte não tem voos diretos para grandes cidades da América do Sul; é um pouco revoltante isso e espero que mude em breve!

            Já na ida do aeroporto para o hotel, o motorista me diz que a polícia lá funciona mesmo. Apesar de não ter tido nenhum problema, essa informação não averiguei, mas fiquei impressionada com a quantidade de mulheres trabalhando na guarda e como são sérias, compenetradas, bem vestidas e arrumadas. Adorei os uniformes e os carros deles! Lá não é permitido beber na rua, mas nem por isso a alegria da noite é menor. No bairro em que fiquei (Lastarria) muitos artistas vendiam seus produtos nas calçadas, sem confusão nem sujeira. Alguns cantavam, tocavam, apresentavam cenas teatrais. Tudo isso sem tirar a paz do lugar.

            Lá não tem fuso-horário, mas as pessoas acordam tarde para meus parâmetros. Tudo abre a partir das 11 da manhã e o sol custa a se pôr: perto das 9 da noite. Gostamos da comida (principalmente o Congrio), experimentei finalmente o Pisco Sour (adorei) e pude fazer alguns passeios em vinícolas lindas com degustações incríveis.

            Fui reparando nos muitos cachorros na rua, todos grandes, mas super dóceis. Os vizinhos os alimentam, mas a grande maioria foi abandonada pelos donos de apartamentos pequenos. Isso me cortou o coração. Depois fiquei sabendo que grande parte deles têm donos, que os deixam andar pela cidade sozinhos durante o dia. Que perigo! Santiago, como a nossa cidade natal, também tem muitos mendigos, sempre observo muito essas pessoas, não consigo me acostumar com essa realidade tão triste.

            De toda forma, adorei a sensação de andar na rua sem medo e poder admirar espaços verdes enormes e edifícios lindos! Adorei o Cerro Santa Lucía, vale subir as escadarias!! Gostei do chileno, que em sua maioria ama o brasileiro e faz questão de dizer. Na volta para o aerporto, nosso motorista ficou estressado, pois tinha de buscar um casal que não aparecia nunca, e começamos a ficar aflitos. Fernando avisou que não podíamos esperar mais e ele chegou no carro dizendo: “eram Argentinos... talvez descobriram que a van estava cheia de brasileiros e não quiseram ir”. Depois do riso geral eu perguntei se ele prefere o argentino ou o brasileiro. Ele respondeu na lata que nenhum dos dois. Me assustei com a resposta, e ele completou rápido: eu prefiro a brasileira e a argentina”. Bem humorados, cheios de diplomacia e galanteadores... esses chilenos...

 

Dicas úteis CHILE:

Leve seu passaporte, mesmo não sendo obrigatório;

Dá pra levar Reais e trocar lá, mas as casas de câmbio abrem tarde;

Use o seu aplicativo UBER para andar na cidade;

Hospede-se em Lastarria e faça quase tudo à pé;

Tire um dia para conhecer Valparaíso;

Não se esqueça de conhecer as casas de Neruda e aprender mais sobre a história dele e do Chile nas visitas;

O serviço nos restaurantes é lento, acostume-se e vá com tempo.

Achei o Mercado Central meio fraco, nem perca seu tempo em almoçar lá pois é caro demais;

Os restaurantes que mais gostei: Bocanáriz (maior carta de vinho por taça do Chile); Casa Lastarria; Metizo (por do sol lindo lá); Como Água para Chocolate (aproveite para passear no Patio Bella Vista depois);

Eu adorei o Museu de la Moneda porque tinha uma exposição completa do Picasso, que sorte a minha!

Pode trazer vinho na mala: só saber embalar bem! Indico comprar no supermercado comum da cidade que é mais barato.

Vinícolas: o tour degustação que mais gostei foi na Indómita, amei o espumante de lá, o passeio e tudo que foi ensinado sobre o universo dos vinhos. O restaurante de lá é caro mas vale a pena. O Casas Del Bosque vale pelo cenário deslumbrante e pelo restaurante, que é ótimo, mas não aconselho o tour degustação, a não ser que você nunca tenha vivenciado um passeio assim. Como curiosidade vale passar pelas Bodegas RE para conhecer a história da família do mais importante enólogo chileno (Morandé) e comprar na loja linda de lá. O tour foi meio longo e os vinhos são muito diferentes: Meus preferidos foram os brancos. Ah, foi lá que comprei um azeite incrível e tempero típico chileno chamado MERKEN. Simplesmente viciante: agora até o ovo eu tempero com isso. 

Chile, com certeza voltarei!

Obs: todos os direitos reservados | não use as imagens nem o texto sem autorização

 

Um dos lugares mais belos que a nossa imensa Minas Gerais possui, a Serra do Cipó (se você ainda não a descobriu) fica na Estrada Real e no Circuito do Diamante. Além de um Parque Nacional, inúmeras cachoeiras, a região tem uma das floras mais diversificadas do mundo!! Um verdadeiro santuário da natureza...

Apesar de visitar a região desde a infância, ainda não tínhamos levado um casal para percorrer a estrada que liga Belo Horizonte até lá, extendendo um pouco até quase chegar em Conceição do Mato Dentro.

Escolhemos fazer isso com a Monique e o Felipe porque não podíamos fazer feio com um carioca, que pega a estrada com a noiva exclusivamente para fazer este ensaio antes do casamento.

E achamos que deu certo, mas você pode conferir a felicidade nos olhos deles pelas fotos ou o email que ele nos mandou:

 

"Éramos amigos, e acabamos virando um casal. Amigos, parceiros.

Ela de BH, eu do RJ, com origens em BH.

Havia a dúvida entre fazer as fotos na Cidade Maravilhosa ou nas Minas Gerais com seus Belos Horizontes. Decidimos que o local não importava tanto, que a essência do casal falaria mais alto. E no final houve a junção das duas coisas: nossa essência retratada no lindo lugar indicado por vocês! Paixão à primeira vista nossa pelo lugar, assim como paixão ao primeiro sorriso francamente trocado entre nós.

Continuamos amigos, virando quase um casal. Para sempre um casal e para sempre amigos. E agora com um novo lugarzinho pra chamarmos de “nosso” após as lindas fotos que vocês nos proporcionaram."

 

Beijos,

Felipe

Este ensaio pré-casamento foi feito numa tarde inesquecível na Lapinha da Serra (MG), numa semana em que esperávamos por muita chuva, mas fomos presenteados pela mudança repentina do tempo. Ainda bem! As chuvas dos dias anteriores causou um pouco de apreensão mas, não sabíamos, ia acabar contribuindo para o verde ficar mais vivo e a água ser também uma protagonista nestas fotos.

Procuramos lugares belos para essas sessões, e se forem como esses que visitamos, melhor ainda, mas é nossa missão entender o motivo da escolha de determinado cenário, afinal, nossas fotos não são para uma revista, elas são para a memória de duas pessoas especiais e únicas, que estão começando uma caminhada juntos.

O Pedro nos contou:

"A Lapinha simboliza para mim um ambiente de conforto da alma, repouso mental e admiração da natureza. Pouco depois de começarmos a namorar, este foi o primeiro local para o qual viajamos juntos, e além disso, era a minha primeira vez no vilarejo.

Retornamos algumas vezes após este episódio, inclusive para realizar a travessia Lapinha – Tabuleiro, aventura que nos rendeu algumas lesões no joelho, rsrs! Mesmo assim, sempre esteve presente um sentimento muito especial.

A cada nova visita fico mais perplexo com toda essa beleza natural e a tranquilidade que sentimos, e por isso, a Lapinha se tornou um dos locais preferidos quando quero me desligar do mundo junto com a pessoa que amo."

 

 

 

 

 

Nossa história com a Amanda e o Pedro começou na reformulação da nossa identidade visual, que foi um processo muito incrível. A partir daí, fotografamos o casamento da irmã da Amanda, a amizade cresceu e novas oportunidades para encontros surgiram. Quando fizemos o ensaio dos dois na Tailândia, não queríamos apressar o casamento, nem dar essa ideia. Eles são lindos, estávamos todos felizes e num lugar especial, então fizemos. Hoje, podemos considerar aquelas fotos como um pre-wedding, por que não? Mas, nem sempre fotografamos casais que se amam só porque eles decidiram se casar. Fotografia é vida!

Foi natural, eles acabaram se casando, quase um ano depois daquele ensaio no templo Wat Arun. A vida pode ser surpreendente, e por isso é tão bom viver!

Vendo as fotos do casamento deles, dá uma sensação tão gostosa, que espero que as noivas todas busquem: simplicidade, mas com beleza e estilo, amor com altas doses de alegria e muito cuidado (carinho com todos) para que tudo aconteça com calma.

 

Olha só o que a Amanda escreveu pra gente:

 

"Pra gente só fazia sentido uma festa de casamento se ela não seguisse os protocolos tradicionais e fosse, sim, a nossa cara. E assim foi! Pelo menos é o que temos ouvido todos os dias: o casamento mais autêntico e diferente que os nossos convidados já foram :) 

 

Queríamos um dia leve e feliz, em que as pessoas mais importantes para nós, escolhidas para celebrar conosco este momento tão especial, ficassem bem a vontade para curtir o momento. 

 

Para isso, foram quatro meses (só isso!) intensos de organização para que essa energia tão importante  se refletisse em cada detalhe. Tivemos fornecedores sensacionais que compraram nossa ideia e tornaram tudo isso possível.

 

O Espaço Província deu o clima perfeito para um casamento de dia e o Atelier Flor da Pelle deixou ele ainda mais bonito, com uma decoração super inusitada, alegre e aconchegante. O Bravo Catering serviu um almoço dos sonhos, enquanto o Red Drinks inovou nas combinações e na forma de servir refrescando a todos, junto com os deliciosos gelatos do Capisco, em um dia de muito calor. Os bolos do O Granulado foram sucesso absoluto e os brownies da Baked deliciosos como sempre. A Pri Pêgo arrasou em uma beleza 'sem cara de noiva', enquanto o M. Daura Atelier (não por coincidência, minha melhor amiga) fez com o maior carinho do mundo o vestido sob medida para combinar com o tênis Kate Spade. A Nath Castro garantiu o clima com a música cheia de personalidade (sem nem precisar de funk e sertanejo rs), Gb Band animou a todos com um show incrível e a Iza apareceu de surpresa nos deixando ainda mais abismados com seu talento. O Kleber Kalvan emocionou a todos com uma cerimônia delicada e do nosso jeito e a Luíza Nassau Cerimonial comprou nossa ideia, juntou tudo isso e tornou esse dia possível de forma impecável. A Casa2 Design (que é nossa empresa) fez a identidade e papelaria do casamento mais importante de sua história :)

Por fim, o registro desse dia tão especial: Olga Filmes gravou tudo com seu olhar super delicado (estamos ansiosos pelo resultado!) e Fernando Lutterbach e André Usagi, nossos amigos/convidados/fotógrafos queridos, foram sempre nossa única escolha e, sem dúvidas, a melhor possível. O olhar único de vocês nos fazem relembrar cada momento e nos enchem de emoção a cada foto que vemos."

 

 

 

Queridos Carol e Fernando,

Quando Rodrigo me pediu em casamento, exatamente aí onde tiramos essas fotos, ele lembrou de Guimarães Rosa, que dizia que “felicidade se acha é em horinhas de descuido”.

Hoje, olhando para trás, percebo que um dos motivos por nosso amor ser tão grande e intenso, é exatamente isso: foram as horinhas de descuido o nosso bem mais precioso, fazendo da felicidade nossa rotina, independentemente do contexto em que estivéssemos.

E assim também foi o dia deste ensaio fotográfico, que capturou tanto a nossa essência, mostrando que nossa felicidade sempre esteve nesses pequenos momentos: uma pausa nos estudos, um abraço quentinho, uma passeio de carro, um ventinho no rosto... 

Foram muitas as horinhas de descuido e uma felicidade sem fim!

Obrigada Fernando e Carol, vocês são demais!

Um beijo,

Amanda.

The Artist Guild of the Wedding Photojournalist Association WPS International Society of Professional Wedding Photographers